segunda-feira, 22 de outubro de 2012

As músicas de jazz mais gravadas de todos os tempos - 1ª parte

Por Edison Junior

O Daniel e eu estávamos conversando outro dia sobre uma coisa muito legal que tem no jazz que são as inúmeras gravações que são feitas de um mesmo tema. A música de jazz tem como uma de suas características principais a improvisação. Dado um tema, os músicos começam a compor em torno dele, transformando-o, embutindo a sua própria visão e sentimento.

Mas, afinal, quais são as músicas preferidas dos músicos? Quais são as mais gravadas? Baseados no livro Glossário do Jazz, de Mario Jorge Jacques (recomendo), listamos a seguir as 10 músicas de jazz mais gravadas até 2010:


10ª) MY FUNNY VALENTINE (1.230 gravações)

Composta por Richard Rodgers e Lorenz Hart para o musical Babes in Arms, de 1937, as gravações mais notáveis de My Funny Valentine são as de Chet Baker, Frank Sinatra e Miles Davis.

 

 

9ª) STARDUST (1.266 gravações)

Essa canção foi composta por Hoagy Carmichael em 1927 e ganhou letra de Mitchell Parish dois anos depois. Foi gravada por quase todas as orquestras americanas, além de Louis Armstrong, Nat King Cole, Dizzy Gillespie e Dave Brubeck. A primeira gravação abaixo foi amadoristicamente digitalizada de um LP por mim, e é uma das melhores versões que já ouvi. Foi gravada pela banda de Lionel Hampton, na década de 30 ou 40 e eu nunca encontrei o CD. Ouça a poeira das estrelas no vibrafone de Hampton. 



8ª) ALL THE THING YOU ARE (1.267 gravações)

Composta em 1939 por Jerome Kern e Oscar Hamerstein II, foi escrita para o musical Very Warm for May. Alguns dos que a gravaram foram Tommy Dorsey, Artie Shaw, Dizzy Gillespie, Django Reinhardt e Keith Jarrett.




Continua…

2 comentários :

  1. Bom dia Edison

    Muito boa a postagem sobre esse tema de regravações no jazz. Eu mesmo, conheci jazz por causa disso, a mesma música me levava a vários musicos diferentes e assim fui conhecendo. Dessa primeira parte, de cabeça só me lembro de conhecer a My Funny Valentine. Mesmo o Miles Davis regravando ela, não tem como negar que a versão do Chet Baker é a melhor.

    Abraço
    Daniel

    ResponderExcluir
  2. Essa do Chet Baker é clássica mesmo.

    ResponderExcluir