domingo, 11 de março de 2012

The Best of The Velvet Underground: Words and Music of Lou Reed (1989)


Título: The Best of the Velvet Underground: Words and Music of Lou Reed
Gênero: Rock / Rock psicadélico
Ano de Lançamento: 1989
Selo: Verve / PolyGram Records

Por Ricardo Seiti

No último dia 02 de março Lou Reed, o fundador do Velvet Underground completou 70 anos, em plena forma. Fica esta resenha também como homenagem a um dos maiores rockeiros da história.

A primeira vez que ouvi falar sobre o Velvet Underground foi em uma entrevista do Dado Villa Lobos (Legião Urbana), dizendo: "Só decidi virar guitarrista depois de ouvir o Velvet Underground". O ano era 1986, e tivemos nessa época uma avalanche de bandas pós-punk no Brasil (shows internacionais eram raros aqui) - Siouxsie & the Banshees, Echo & the Bunnnymen, The Cure, P.I.L. (banda do ex- Sex Pistols John Lydon), The Church, Bolshoi, The Mission, Big Audio Dynamite (banda do ex-The Clash Mick Jones).

Em suas entrevistas, quase todos diziam da influência do The Velvet Underground em seu trabalho. Resolvi então conhecer a banda, que em sua carreira tinha cinco álbuns de estúdio e comecei pela coletânea.

Ao ouvir os primeiros acordes de "I'm waiting for the man", fiquei louco. Eu nunca havia ouvido nada parecido. Na segunda música, "Femme Fatale", extremamente cool, percebi a bipolaridade da banda: súbitos de euforia e êxtase contrastando com momentos de calmaria, depressão e introspecção. Seus temas, versando sobre o submundo de Nova Iorque: drogas, prostituição, violência, sexo e sadomasoquismo, crises existenciais. O som, passando por riffs crus e ácidos, solos confusos e bêbados a arpejos sublimes e angelicais.

No encarte da coletânea, que fala um pouco sobre a banda, consta a lendária informação de que, apesar de seu álbum de estreia (The Velvet Underground & Nico, de 1966) ter vendido apenas algumas centenas de cópias, todos que o compraram montaram uma banda. E também a observação de que este seu 1° trabalho só não teve maior repercussão por ter sido lançado na mesma época em que os Beatles lançaram "The Sargent Peppers Lonely Hearts Club Band" (queixa também do Pink Floyd, ao lançar seu disco de estreia, The piper at the gates of dawn).

O The Velvet Underground nunca tocou em ginásios ou estádios, suas apresentações eram em pequenos palcos, obscuros e intimistas. Sua trajetória começa quando, um dia, o mundialmente conhecido artista plástico e produtor Andy Warhol, vendo a banda em uma apresentação ficou tão impressionado que se ofereceu para produzi-la. Seus integrantes eram: Lou Reed (vocal e guitarra), John Cale (vocal, guitarra, piano), Sterling Morrison (baixo e guitarra), Maureen Tucker (percussão). Andy sugeriu a entrada da vocalista Nico na banda para interpretar algumas músicas, fato aceito pela banda desde que ela não fizesse parte integrante do grupo. Após o fiasco de seu primeiro álbum, Nico e Andy Warhol se desligam da banda.

A banda gravaria no total cinco discos, porém o último deles sem Lou Reed, que partiria para uma grande carreira solo. Em 1993, 20 anos após seu término, a banda se reúne para uma série de shows e lança um cd duplo ao vivo e dvd. Aí sim tocam em ginásios lotados, sinal do reconhecimento póstumo de uma grande banda, que estava muito a frente de sua época. ,Fica a dica.

Track List

01. I'm Waiting For The Man
02. Femme Fatale
03. Run Run Run
04. Heroin
05. All Tomorrow's Parties
06. I'll Be Your Mirror
07. White Light/White Heat
08. Stephanie Says
09. What Goes On
10. Beginning To The Light
11. Pale Blue Eyes
12. I Can't Stand It
13. Lisa Says
14. Sweet Jane
15. Rock And Roll

Velvet Underground - "I´m Waiting For The Man"


Velvet Underground - "What Goes On"


Em tempo: uma pena a coletânea não ter a hipnótica "Venus in furs", do 1° álbum.


Site Oficial: The Valvet Underground

Um comentário :

  1. Não conhecia. Curti o som dos caras. Grande dica.

    Abraço
    Daniel

    ResponderExcluir